ConJur - Parceria monitora e avalia cotas para pessoas negras no Judiciário

O Conselho Nacional de Justiça e a Faculdade Zumbi dos Palmares reforçaram a parceria, no último dia 23 de março, para a realização de estudos e pesquisas que permitam avaliar a implantação das cotas raciais no Judiciário.


A ampliação da cooperação técnica, firmada em novembro, permite que a Faculdade atue também para identificar o cumprimento da recente decisão do CNJ de implantar políticas afirmativas nos concursos públicos para cartórios.


A formalização foi realizada na abertura da reunião do Observatório dos Direitos Humanos do Poder Judiciário. O presidente do CNJ, ministro Luiz Fux, destacou sobre a necessidade de controle de políticas em prol da igualdade racial.


“Esse termo de cooperação técnica tem exatamente como escopo o controle dessas políticas públicas adotadas pelo Observatório. Temos essa preocupação que as discussões não sejam meras divagações acadêmicas, mas temos que entregar os compromissos assumidos”, afirmou Fux.


O reitor da Faculdade Zumbi do Palmares, José Vicente ressaltou a relevância do momento. “Com essa medida, sem dúvida alguma, a gente cumpre um ritual de seguir adiante e de manter acessa a chama, principalmente, aos homens e mulheres negros que estão nos bancos das universidades, aguardando que o espaço público e privado possa recebe-los”. Com informações da assessoria do CNJ.


Fonte: ConJur


Posts recentes

Ver tudo